quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Relevância do projeto

As dificuldades de aprendizagem da aritmética podem ter muitas causas, podendo ser relacionadas, inclusive, a problemas emocionais, falta de estimulação ou fracasso pedagógico. Cerca de 6% da população em idade escolar apresenta, entretanto, dificuldades crônicas de aprendizagem da matemática, as quais não podem ser atribuídas a fatores extrínsecos e têm origem genética, constituindo o chamado transtorno específico de aprendizagem da aritmética (CID-10 F81.2) ou discalculia do desenvolvimento.
Os dados de pesquisa indicam que a discalculia do desenvolvimento é uma condição crônica que implica em vários riscos psicossociais. Entre os desfechos psicossociais associados a dificuldades de aprendizagem da matemática foram identificadas diversas formas de psicopatologia externalizante (comportamentos antisociais) e internalizante (sintomas de ansiedade, depressão, baixa auto-estima), abandono escolar, baixa renda e desemprego.
Os efeitos sobre a renda e o emprego permanecem significativos mesmo quando são realizados controles estatísticos para a presença de dificuldades com leitura. Numa cultura progressivamente informatizada como o Mundo globalizado atual, a identificação, prevenção e remediação de dificuldades de aprendizagem da aritmética é uma questão crucial do ponto de vista do capital humano e bem-estar social.

A discalculia do desenvolvimento é uma entidade heterogênea do ponto de vista dos seus mecanismos cognitivos, não havendo, até o momento, marcadores cognitivos validados que possam identificar na pré-escola crianças sob risco, as quais mereceriam atenção pedagógica especializada. Desta forma, faz-se necessária uma pesquisa neuropsicológica que contribua para identificar os mecanismos cognitivos subjacentes.

Os dados disponíveis quanto à etiologia indicam que pode haver ao menos duas formas de discalculia do desenvolvimento. Uma forma de discalculia é associada a síndromes ambientais (fetal alcoólica) ou genética (velocardiofacial, Turner, Williams, hidrocefalia congênita, Sotos etc.). A outra forma etiológica é relacionada a mecanismos multifatoriais, havendo interação de pequenos efeitos aditivos de múltiplos genes com a experiência ambiental.
A principal hipótese subjacente ao projeto é de que na população de crianças com discalculia do desenvolvimento deve ser maior a prevalência de alterações genéticas relacionadas a diversas das síndromes mencionadas acima. Neste caso, o transtorno de aprendizagem da aritmética constitui uma forma frustra ou fenótipo ampliado das síndromes genéticas. As síndromes velocardiofacial e de Turner foram selecionadas para análise porque constituem as duas formas mais freqüentes na população de doenças genéticas que apresentam dificuldades relativamente específicas de aprendizagem da matemática como parte do fenótipo.